top of page
Pedro GALIZA CROP.jpg
PEDRO GALIZA
assistência direção artística
ator, encenador, dramaturgo, tradutor
  • Facebook
BIOGRAFIA

Nasce em 1986 na Póvoa de Varzim.

É formado em Teatro-Interpretação pela ESMAE/IPP. Trabalhou como actor com as companhias de teatro Assédio, Ensemble, InMediaRes, Marácula, TEP, Teatro do Bolhão, entre outras. Foi dirigido por João Cardoso, Emília Silvestre, Rogério de Carvalho, Carlos Pimenta, Jordi Ribot Thunnissen, Lee Beagley, Inês Vicente, Giselle Stanzione, Alexandre Azinheira, Gonçalo Amorim, Joana Providência, Maria do Céu Ribeiro, Nuno Carinhas, Jorge Pinto entre outros, em espectáculos a partir de Shakespeare, Moliére, Connor McPherson, Frank McGuinness, Paul Verlaine, Nikolai Gogol, Mickaël de Oliveira, Oscar Wilde, Rui Pina Coelho, Mark o’Rowe, Owen McCafferty, Peter Handke, Alan Ayckbourne, Jacinto Lucas Pires, entre outros.

Em cinema, trabalhou com Luís Ismael, Kyle Sousa, Paula Cons e Carlos Amaral.

Encenou textos, em Portugal e na Catalunha, de Fernando Pessoa, William Shakespeare, Gil Vicente, Anton Tchekhov, Franz Kafka, Arthur Machen, entre outros.

Traduziu textos de William Shakespeare (“Ricardo III”, “Tito Andrónico”, “A Tempestade”), Nikolai Gogol (“Diário de um Louco”, a partir da versão inglesa de Claude Field), Franz Kafka (“A Mulherzinha e Outras Histórias”, a partir da versão inglesa de Willa e Edwin Muir), Anton Tchekov (“O Canto do Cisne”, a partir da versão inglesa de Marianne Fell), Arthur Machen (“O Grande Deus Pã”), Charlotte Perkins Gillman (“O Papel de Parede Amarelo”).

Como dramaturgo, escreveu “Fábulamãe”, em 2016, “Vida e Obra de um Homem Mais ou Menos Apresentável”, em 2018, “Entre Dois Campos de Milho” e “Translúcido” em 2019 , “M.A.D.”, em 2020, “Terno” em 2022, "Prometeus" e "A Tragédia de Aristídes Inhassoro" em 2023 e "Conversa Porca" em 2024.

De 2008 a 2015, integrou a direcção d’ A Filantrópica e colaborou como produtor e programador do Philantra – Festival de Arte Independente.

Co-fundou a Marácula – Associação Cultural em 2013 e, em 2019, a Grua Crua. Integrou, de 2015 a 2021, a equipa de produção e programação do FIS – Festival Internacional de Solos.

bottom of page